quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Pavê de Frutas Vermelhas


Essa época é ótima, né? Tudo que é fruta boa aparece para comprar. Gosto muito das frutas vermelhas - morangos, amoras, framboesas, cerejas... (as cerejas ainda estão um pouco caras, mas já estão bonitas). De uma caixinha de morangos e uma de amoras, e de uma receita antiga que minha mãe sempre faz, saiu esse delicioso pavê!

Ingredientes:

Para 1º creme:
1/2 lata de leite condensado
1/2 lata de leite
1 gema peneirada
1 colher (sobremesa) de amido de milho

Para o 2º creme:
150 gramas de chocolate ao leite picado
1 caixinha de creme de leite

Para o 3º creme:
1 clara
3 colheres (sopa) de açúcar
1/2 lata de creme de leite

Para montagem e decoração:
1 caixa de morangos
1 caixa de amoras
Sobras de bolo branco (esfarele grosseiramente com as mãos)
Chocolate ralado a gosto para decorar

Modo de preparo:

Para o 1º creme:
Misture o leite condensado, o leite, a gema peneirada e o amido de milho (dissolvido em um pouquinho de leite) numa panela e leve ao fogo, mexendo sempre até engrossar. Reserve.

Para o 2º creme:
Derreta o chocolate como preferir e misture com o creme de leite. Reserve.

Para o 3º creme:
Bata a clara até ficar bem firme. Junte o açúcar e bata até formar picos. Acrescente o creme de leite delicadamente, reserve.

Montagem:
Em taças (se preferir, use uma travessa pequena), coloque um pouco de bolo esfarelado. Cubra com o 1º creme. Espalhe por as frutas vermelhas picadas a gosto e coloque mais um pouco de bolo esfarelado. Jogue o 2º creme por cima. Novamente, coloque frutas e bolo e termine com o 3º creme. Leve para gelar e quando o pavê estiver um pouco mais firme, decore a gosto.

Dicas:

Essa receita não rende muito. Fiz pouco de propósito porque queria aproveitar umas sobras de bolo. Minha taças são grandes, servem 2 pessoas. Renderam 3 taças.
Se você não tem sobras de bolo, pode comprar um bolinho pronto de padaria, ou então usar biscoitos tipo "champagne" picados.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Pavê Amaro


Na minha cidade natal tem uma doceria apaixonante com um pavê incrível de chocolate. Toda vez que vou pra lá, preciso comer um pedaço. Gosto tanto daquele pavê que fico procurando receitas semelhantes, quem sabe uma hora eu acerto...? E esse pavê ficou bem parecido!
Fonte: Livro de Receitas Lacta - O Mundo Maravilhoso do Chocolate II (p. 45, com modificações)

Ingredientes:

Cerca de 1 pacote de biscoitos tipo "maizena" (tenha mais um pacote, caso precise)
3 gemas
4 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (sopa) de manteiga
1 xícara (chá) de creme de leite
200 gramas de chocolate Amaro picado fino
1 caixinha de chantilly
Chocolate ao leite ralado para decorar
Chocolate derretido para decorar

Modo de preparo:

Bata as gemas com o açúcar até que fiquem fofas e claras. Junte a manteiga e continue batendo até obter um creme fofo e  consistente. Aqueça o creme de leite em banho-maria e dissolva nele o chocolate picado. Mexa para que fique bem liso e misture ao creme as gemas, batendo apenas para encorpar bem.
Para a minha forma (que é bem pequena), usei um pouco mais de 1 pacote de biscoitos.
Monte o pavê: forre o fundo de uma forma retangular pequena com um plástico (para ajudar a desenformar). Molhe os biscoitos rapidamente no leite gelado e cubra o fundo da forma. Despeje uma camada de creme de chocolate e repita a operação com os biscoitos. Faça isso até terminar o creme. Termine com biscoitos, feche o plástico e leve para a geladeira por cerca de 6 horas. Bata o chantilly bem gelado conforme instruções da caixinha e decore com o auxílio de um bico de confeitar. Enfeite as laterais com chocolate picado e faça desenhos por cima do pavê com o chocolate derretido.



Dicas:

A receita original sugeria que os biscoitos fossem molhados em licor de chocolate ao invés de leite; biscoitos champagne ao invés de biscoitos maizena e não levava nenhum tipo de decoração. Tentei fazer com que ficasse mais parecido ao pavê da famosa doceria.
Sempre derreto creme de leite com chocolate direito na chama do fogão, não uso banho-maria. Mas tem que tomar cuidado para não queimar, mexendo sempre e de vez em quando, retirando da chama do fogão.
Uma dica legal que o livro dá: você pode substituir o licor de cacau por rum e alternar as camadas de creme de chocolate com doce de leite.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Suflê de Queijo


Essa receita é a do clássico suflê de gruyére, aquele mesmo da textura perfeita que você se perguntava como era feito quando tinha a felicidade de comê-lo em algum restaurante. A receita é do livro do renomado chef Michel Roux (já falei dele aqui no blog várias vezes). Além de dicas fundamentais, ele explica o prato com riqueza de detalhes e uma leveza quase impraticável.
Fonte: Receitas com Ovos, Michel Roux (p. 150).

Ingredientes:

50 gramas de manteiga amolecida para untar os ramequins
50 gramas de gruyère ralado para forrar os ramequins
20 gramas de manteiga
20 gramas de farinha de trigo
250 mL de leite
Sal e pimenta-do-reino moída na hora
Uma pitada de pimenta-de-caiena (não coloquei)
6 gemas de ovos médios
10 claras de ovos médios
240 gramas de gruyère ou Comté finamente ralados, mais 8 discos bem finos

Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 200ºC. Bata as claras com uma pitada de sal até formar picos firmes. Unte generosamente o interior de 8 ramequins de 8 cm com a manteiga amolecida. Coloque cerca de 50 gramas do queijo ralado dentro de um ramequim, gire-o para que forre as laterais e então despeje o excesso em outro ramequin. Repita a operação para forrar todos eles.
Faça um molho béchamel: derreta os 20 gramas de manteiga em uma panela. Junte a farinha e cozinhe por 2 minutos, mexendo sem parar com um batedor. Adicione o leite frio e deixe levantar fervura em fogo médio. Deixe borbulhar por 1-2 minutos, então passe o béchamel para uma tigela. Tempere com o sal e as pimentas. Acrescente as gemas (eu gosto de passar antes por uma peneira) e bata bem. Cubra a tigela com um filme plástico e deixe esfriar um pouco. Incorpore com um batedor cerca de 1/3 das claras batidas à mistura morna do suflê; então, com uma colher grande, misture o restante das claras com uma das mãos e com a outra vá adicionando o gruyère ralado. Pare assim que a mistura estiver ligada. Com uma colher, preencha os ramequins até ultrapassar 5 mm da borda. Alise a superfície com uma espátula e use a ponta da faca para afastar a mistura das laterais de cada ramequim, o que ajuda o suflê a crescer.
Coloque os ramequins numa assadeira e acrescente água quase fervente até metade da altura dos ramequins. Asse os suflês por 4 minutos. Enquanto isso, corte os discos de queijo e rapidamente posicione-os sobre cada um dos suflês e devolva tudo ao forno por 1 minuto. Transfira os suflês assados para pratos individuais e sirva em seguida.

Dicas:

A receita pediu gruyère, mas eu usei provolone. No dia que fui fazer esse prato, não consegui comprar o gruyère.
O tempo que a receita sugere foi muito, mas muito longe do tempo que eu levei para assar os meus suflês. Demorou demais no meu forno e se eu os tirasse com apenas 5 minutos, os comeria crus. Por isso eu sempre recomendo que você conheça o seu fogão. Retire o suflê quando ele perder o aspecto de líquido e tiver crescido um pouco. Os meus cresceram, mas não muito. O porém é que assim que você os tira do forno, eles murcham. Isso acontece mesmo, o negócio é comer bem rápido.
Você tem um maçarico de cozinha? É perfeito para gratinar a superfície do suflê, mas seja rápido(a).
Michel Roux dá dicas ótimas: as claras não devem ser muito frescas e nem muito frias, ou não vão crescer como devem. Não use tigelas de plástico para batê-las porque o plástico retém gordura, o inimigo número um das claras. Antes de terminar de batê-las, adicione uma pitada de sal; isso ajudará a manter o volume. Ao acrescentar as claras a uma mistura, certifique-se de que a mistura esteja morna ou quente, nunca fria, ou você terá muito trabalho para incorporar as claras por igual. Finalmente, quando o suflê estiver no forno, não fique abrindo a porta a todo minuto - suflês detestam correntes de ar, e provavelmente vão baixar.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Caracóis de Presunto e Queijo



Fazer pães significa sair da minha zona de conforto, mas quando o pão é recheado eu gosto de arriscar. Essa receita é bastante simples, não fica muito bonita com esse recheio todo aparecendo, mas é realmente gostosa. Vira um lanche delicioso. Vale a pena!
Fonte: Receitas Nota 10

Ingredientes:

Para a massa:
2 colheres (sopa) de manteiga
1 copo de leite morno (usei um copo de 250 mL)
15 gramas de fermento biológico (1 tablete)
1 colher (sopa) de açúcar
2 ovos
1 colher (sobremesa) rasa de sal
Farinha de trigo suficiente para amassar (cerca de meio quilo)

Para o recheio:
4 tomates maduros
100 gramas de azeitonas picadas (não coloquei)
200 gramas de queijo prato
200 gramas de presunto
1 cebola picada
1 colher (chá) de orégano
2 gemas para pincelar

Modo de preparo:

Dissolva o fermento no açúcar e misture o leite. Coloque os ovos, o sal, a manteiga e a farinha peneirada aos poucos. Misture e sove a massa até desgrudar das mãos e estar macia. Deixe descansar em vasilha coberta por um pano por 30 minutos, ou até dobrar de volume. Pique todos os ingredientes do recheio em cubinhos e misture tudo. Divida a massa em 2 e abra cada parte com o rolo, recheie e enrole formando 2 rocamboles. Corte fatias deste rocambole e coloque em forma untada. Pincele com gemas e leve ao forno pré-aquecido, a 200°, até dourar.

Dicas:

Não tem jeito dessa receita ficar muito bonita, pois assim que você cortar as fatias (os caracóis), o recheio certamente vai sair e dar esse aspecto "bagunçado".
Eu sugiro que você não deixe a massa ficar muito fina porque assim ela vai "sumir" no meio do recheio depois de assada. Experiência própria.
Retire as sementes dos tomates! Eles soltam água e a massa pode ficar muito mole e úmida enquanto os caracóis assam.

sábado, 17 de agosto de 2013

Pimentões Recheados


Pimentão é um ingrediente bastante comum aqui em casa e eu nunca havia me tocado em utilizá-lo dessa forma. Recentemente ganhei 2 fascículos da coleção "Cozinha Regional Brasileira", da editora Abril. Foi lá que vi a receita e a ficha caiu! Está no fascículo de São Paulo (p. 56), que por sinal é uma graça! Vale a pena.

Ingredientes:

2 pimentões vermelhos ou verdes grandes
3 colheres (sopa) de azeite
1/2 cebola picada
1 dente de alho amassado
300 gramas de carne moída
Sal e pimenta a gosto
2 ovos cozidos e picados
3 colheres (sopa) de cebolinha picada

Modo de preparo:

Retire os tampos dos pimentões e reserve-os. Depois, elimine as sementes e lave bem. Em uma panela bem quente, coloque o azeite e refogue a cebola e o alho. Acrescente a carne moída, tempere a gosto e cozinhe (mexa sempre para não empelotar). Retire do fogo e junte os ovos cozidos e picados e a cebolinha. Abra os pimentões ao meio e recheie cada metade com essa mistura. Leve ao forno moderado (180ºC) por cerca de 25 minutos.

Dicas:

Para o recheio ficar cremoso e não ressecar no forno, acrescentei 2 colheres (sopa) bem cheias de requeijão cremoso.
Recomendo usar o pimentão vermelho para fazer essa receita, pois é bem mais suave do que o verde.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Frango com Crosta de Queijo



E quando você pensa que não tem mais jeito de inovar e fazer um frango diferente e gostoso, eis que aparece uma nova receita!
Fonte: Mais Você

Ingredientes:

500 gramas de filé de peito de frango (2 filés grandes e altos ou 3 menores)
100 gramas de muçarela ralada (ralo grosso)
150 gramas de queijo prato ralado (ralo grosso)
1/4 xícara (chá) de maionese (50 gramas)
2 dentes de alho picadinhos
1/2 xícara (chá) de farinha de rosca (50 gramas)
1/2 xícara (chá) de cebolinha picadinha

Modo de preparo:

Numa tigela, misture os queijos, o alho, a maionese, a farinha de rosca e a cebolinha. Limpe bem o frango, tempere a gosto e faça cortes superficiais diagonais em cada filé, sem atingir o outro lado (é para grudar a crosta de queijo no frango). Pegue uma assadeira, unte com azeite e disponha os filés de frango. Sobre cada filé, coloque uma porção da crosta de queijo preparada. Leve ao forno preaquecido (250ºC) por cerca de 20 minutos ou até dourar.

Dicas:

Não exagere no tempero dos filés, pois os queijos já possuem sabor bastante acentuado.

sábado, 10 de agosto de 2013

Lumaconi Giganti Recheado





Por alguma razão obscura, o macarrão do tipo "conchiglione" sumiu dos supermercados aqui em Niterói. Esses dias apareceu este, o "lumaconi giganti" e eu fui correndo comprar. Mudou um pouquinho o formato (parece um caramujo gigante, o que explica o seu nome), mas a essência de poder recheá-lo permaneceu. Essa massa é bem grande, cabe bastante recheio dentro dela.

Ingredientes:

1/2 pacote de lumaconi giganti
Cerca de 15 fatias de presunto
Cerca de 15 fatias de muçarela
30 gramas de manteiga
30 gramas de farinha de trigo
600 mL de leite
Sal e pimenta a gosto
Parmesão ralado para polvilhar

Modo de preparo:

Cozinhe a massa em bastante água e sal. Não deixe amolecer demais, tire assim que ficar "al dente". Escorra a água e deixe esfriar. Enquanto isso, prepare o molho branco: derreta a manteiga e junte a farinha de trigo, mexendo sem parar com um batedor de arame (fogo médio). Vá misturando bem até a farinha com a manteiga ficarem douradas (leva cerca de 1-2 minutos). Junte o leite continue mexendo até engrossar. Tempere com sal e pimenta a gosto. Se o molho estiver muito grosso, coloque mais um pouquinho de leite.
Pegue uma fatia de presunto, coloque uma de muçarela por cima e enrole. Corte no meio e coloque as duas partes dentro de cada lumaconi. Faça isso até terminar a massa. Disponha o macarrão já recheado numa travessa que possa ir ao forno, coloque todo o molho branco por cima e polvilhe parmesão ralado a gosto.



Dicas:

Para saber quantas fatias de queijo e presunto você vai usar, conte quantos lumaconi você está cozinhando.
Compre uma massa de qualidade, pois é importante que o macarrão se mantenha firme após o cozimento para que você consiga rechear.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Bolo de Chocolate com Morangos


Por sugestão da minha mãe, esse bolo não me escapou! Vi a foto e a receita, ambas tentadoras, ainda mais agora com os morangos lindos que estão sendo vendidos por aí. Recomendo muito!
Receita retirada desse site aqui.

Ingredientes:

Para a massa:
2 ovos
1 xícara (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de margarina ou manteiga
1/2 xícara (chá) de leite morno
1 xícara (chá) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 colher (sobremesa) de fermento em pó

Para o recheio:
1 e 1/3 da lata de leite condensado
1 lata de creme de leite (eu usei 1 caixinha)
2 gemas
2 caixas de morangos picadinhos

Para a cobertura:
1 e 1/3 da lata de leite condensado
2/3 de uma caixinha de creme de leite
200 gramas de chocolate (meio amargo ou ao leite - costumo usar 100 gramas de cada)
7 morangos inteiros para decorar
Raspas de chocolate para decorar

Modo de preparo:

Para a massa:
Bater muito bem os ovos com o açúcar e a margarina. Acrescentar o leite e bater apenas para misturar. Por último, juntar a farinha, o chocolate em pó e o fermento peneirados. Misture com um fouet, se não tiver um, bata rapidamente na velocidade mínima da batedeira. Despejar a massa numa fôrma funda, de aro removível, com 20 cm de diâmetro. Levar para assar em forno pré-aquecido por cerca de 40 minutos.

Para o recheio:
Misture o leite condensado com o creme de leite. Junte as gemas peneiradas e leve ao fogo brando, mexendo sempre. Quando começar a desgrudar do fundo da panela, o creme estará pronto. Deixe esfriar um pouco e enquanto isso, lave e pique os morangos em pequenos cubos. Deixe secar bem e então misture ao creme já frio. Reserve.

Para a cobertura:
Pique ou rale o chocolate. Numa panela, misture o leite condensado, o creme de leite e o chocolate picado. Leve ao fogo, mexendo sempre, até ficar no ponto de brigadeiro mole. Reserve até esfriar um pouco.

Montagem:
Corte o bolo já frio em 3 partes. Molhe cada parte com uma calda de sua preferência (usei achocolatado). Na própria forma onde o bolo foi assado, coloque uma parte da massa. Despeje a metade do recheio por cima, cubra com outra parte da massa e acrescente o recheio restante. Termine com a última parte da massa, cubra com um plástico ou papel alumínio e leve para a geladeira por no mínimo 6 horas. Desenforme, espalhe a cobertura e decore com as raspas de chocolate e com os morangos inteiros.



Dicas:

A massa que usei foi uma que já estou acostumada. A receita original tem uma massa diferente. Além disso, coloquei mais morangos no recheio (a receita pedia apenas 5, achei pouco).
Todo mundo sabe que morango solta água né?! Então, 2 coisas: 1º, não precisa molhar demais a massa do bolo porque o morango já se encarrega disso; 2º, tente retirar o máximo de água dos vermelhinhos antes de colocá-los no recheio. Eu deixo escorrer bem e depois seco os pedacinhos num papel toalha. Não é totalmente eficaz, se alguém souber de algum outro método, me conta?!
Para conseguir que o chocolate ralado fique em lascas maiores, basta colocá-lo por alguns segundos dentro do micro-ondas. Como o tempo depende da espessura do seu pedaço de chocolate, sugiro que coloque 5 segundos, retire e se ainda estiver duro, coloque novamente. O objetivo não é derreter o chocolate, é só para amaciar. Se você estiver usando chocolate fracionado (que eu detesto), vai conseguir tirar lascas com mais facilidade. O problema é que o chocolate fracionado tem um sabor horrível, por isso recomendo sempre o chocolate nobre.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Bacleua


Olhando outros blogs culinários, achei um doce árabe muito interessante e fácil de preparar. Bacleua (ou Baklava) é um doce feito com nozes, massa fillo (aquela massa beeem fininha) e uma deliciosa calda. Achei que não tinha como ser ruim e nunca estive tão certa. A receita eu peguei no blog Desafios Gastronômicos, que é show.

Ingredientes:

Para o doce:
1 embalagem de massa fillo (300 gramas)
Manteiga derretida para untar
1 xícara (chá) de nozes moídas (160 gramas)
1/2 xícara (chá) de açúcar (70 gramas)
1/2 colher (sopa) de água de flor de laranjeira

Para a calda:
2 xícaras (chá) de açúcar (350 gramas)
1 xícara (chá) de água (240 mL)
1 colher (sopa) de suco de limão
1 colher (chá) de água de flor de laranjeira

Modo de preparo:

Para a calda:
Misture o açúcar com a água e leve ao fogo. Quando começar a ferver, marque 8 minutos. Deixe esfriar completamente e então junte o suco de limão e a água de flor de laranjeira.

Para o doce:
Unte uma forma refratária pequena (cerca de 20 x 25 cm) com a manteiga derretida. Corte a massa fillo no tamanho da forma e coloque uma folha de massa. Unte novamente com a manteiga e coloque outra folha de massa. Repita esse procedimento até que totalizem 15 folhas de massa.
Numa vasilha, misture bem as nozes moídas com o açúcar e a água de flor de laranjeira. Espalhe o recheio sobre as 15 camadas de massa.
Coloque mais 5 camadas de massa, sempre untando com manteiga. Corte o doce todo fazendo losangos. Leve ao forno médio por cerca de 40-50 minutos, ou até dourar de acordo com o seu gosto (eu prefiro mais branquinho). Quando estiver pronto, retire e regue o doce ainda quente com metade da calda preparada. Ao servir, acompanhe de mais calda.


Dicas:

Não sabe o que é massa fillo? Clica aqui.
É importante seguir o tempo correto de preparo da calda de açúcar para dar tudo certinho. A Bia, dona do blog, errou na primeira vez que foi fazer a calda.
Vai bastante manteiga nesse doce mesmo. Não economize (acho que gastei meia embalagem) e use manteiga (de preferência sem sal) ao invés de margarina.
Prefiro sempre formas de alumínio ao invés das de vidro para assar a maioria das coisas. As de vidro, apesar de mais bonitas, sempre queimam o fundo do que estou assando.
Conserve o doce fora da geladeira e sirva frio.
Triturei as nozes um tanto demais e o recheio ficou bem compactado e úmido. Se quiser deixá-las mais grosseiras, não há problema.
A água de flor de laranjeira é imprescindível. Não deixe de usar! A minha eu comprei na rede Pão de Açúcar.

sábado, 3 de agosto de 2013

Pastelzinho de Forno III



Adoro pastel de forno, tanto que essa já é a terceira versão que posto no blog (para visualizar as outras, basta clicar aqui e aqui). Essa é a receita que minha mãe faz. Deliciosa como são todas as receitas dela, mas tenho que contar que a massa é meio chatinha de lidar.

Ingredientes:

Cerca de 3 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal dissolvida em 1 xícara (chá) de água
1 ovo
3 colheres (sopa) de óleo
1 colher (sopa) de margarina
1 colher (sopa) não muito cheia de fermento em pó
Gema para pincelar

Modo de preparo:

Amasse todos os ingredientes até desgrudar das mãos. Se necessário, coloque mais farinha. Deixe a massa descansar por cerca de 15 minutos. Com um rolo, abra a massa em círculos, recheie a gosto (usei um recheio de frango), pincele com gema e leve para assar em forno moderado.

Dicas:

Nada de colocar recheios quentes na massa, ok? Espere esfriar bem, senão a massa já era.
Em geral, massas de pastéis assados são chatinhas de lidar mesmo. Quanto mais você mexe nela, mais difícil fica para abrir. Então tente abrir a massa apenas 1 vez, separando uma pequena porção que seja necessária para fazer 1 pastel. Quanto menos "rebarbas" você tirar da massa para ser reaberta depois, melhor.
Eu tenho mania de sempre colocar muito recheio nos salgados que faço. Por mais que eu tente, sempre sofro na hora de fechá-los. O gostoso é que ficam sempre bem recheados, mas ficam feiosos porque acabam se abrindo enquanto assam.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Homus


Para quem não conhece, homus é uma pasta feita com grão de bico. Receita árabe que eu sempre gostei, mas até então só havia comido em restaurantes... até que encontrei essa receita aqui. Achei tão fácil que não podia deixar de fazer.

Ingredientes:

250 gramas de grão de bico
1 colher (sopa) de tahine*
Suco de meio limão
1 dente de alho
Sal a gosto
Azeite e hortelã para decorar
Pão sírio para servir

Modo de preparo:

Cozinhe o grão de bico em dois litros de água por 40 minutos. Coe e reserve o caldo. Coloque o grão de bico cozido no liquidificador junto com o tahine, o suco de limão, o sal e o alho. Coloque um pouquinho da água do cozimento, bata e aos poucos vá colocando água gelada até ficar na consistência de pasta, batendo sempre. Passe para a vasilha de servir, decore com azeite e hortelã e sirva com pão sírio.

Dicas:

*Tahine é uma pasta feita com sementes de gergelim, quase sempre presente na comida árabe. Você encontra em lojas especializadas, mercados, etc. O meu eu comprei na rede Pão de Açúcar. É fundamental colocar esse tempero no homus.
Lendo as várias receitas de homus que pesquisei, notei que algumas sugeriam que o grão de bico fosse deixado de molho de um dia para o outro. Eu fiz isso, não com o intuito de amaciá-lo, mas com o objetivo de fazer soltar aquela pelinha chata que o grão de bico tem. Quando deixado de molho, essa pele se solta facilmente: basta lavar os grãos em água corrente, esfregando com as mãos.